sexta-feira, 10 de abril de 2009

VOO AO SOLO




EM BUSCA DO SOLO (SINOPSE)
“Voo ao Solo” é resultado da busca de uma construção dramatúrgica voltada para a experimentação artística em outro ambiente teatral sendo composto por recortes que mistura interferências cotidianas e referências pessoais com elementos que compõe o imaginário mítico-urbano da contemporaneidade nordestina e do trajeto de vidas, criando assim uma ligação entre o que há de moderno já produzido no meio teatral e o que vivenciamos como reprodução de nossas tradições. Dentro deste processo de montagem pode-se considerar que há o desenvolvimento dramatúrgico conciliado com o trabalho de composição de personagens dentro de uma busca individual da pesquisa da atriz/dramaturga, agregando ao produto final (a montagem) uma experimentação científica quando percebemos que desenvolveu-se sobre o espetáculo uma proposta que busca atingir objetivos que se mostrem durante os experimentos encenados, fluindo desde a composição pós-dramática do texto até o referencial corpóreo em cena.
Com recortes das obras de Lygia Fagundes Teles, Guimarães Rosa e outros ícones da literatura e da cultura pop podemos entender quais as referências e como podem ser ponto de partida para a criação de um entrelaçado dramático que possibilita a visitação do ser humano à diferentes estágios e níveis comportamentais do ser humano partindo do ponto de vista do feminino mítico até a influencia do espaço urbano sobre a construção das relações interpessoais.

ENFIM O VOO (RELEASE)
“Me sentia uma estrangeira, me sentia na verdade uma exilada, não pelo lugar que habitava, mas pelo o que percebia estar habitando dentro de mim.”
Num onde indefinido e num quando indeterminado uma mulher faz um apanhado dos fatos mais importantes de sua vida começa a estabelecer consigo mesma uma relação caótica inclusive com seus demônios e fantasmas do passado, tudo aflora de modo impensado e imprevisível, não havendo assim uma definição nem especial, nem cronológica, viajando em seus pensamentos e metáforas que aproximam o espectador dos sentidos e sentimentos da personagem.
Imagens, sons, texturas, cheiros, tudo interligando movimento e palavra.
Voo ao solo é o primeiro espetáculo solo da dramaturga e atriz Daniela Beny (selecionada pela Funarte para integrar o CENTRO DE APERFEIÇOAMENTO TEATRAL 2008) que após temporada de estudos cênicos em São Paulo onde trabalhou sobre a direção de Antonio Abujamra trás para o palco um pouco de sua experimentação em outros solos fazendo assim um voo solo e “ao solo”.

Um comentário:

  1. Nossa! vai em frente Dany...o texto é rico, pois tá de acordo com os muitos "eu" que encontramos na sociedade. A luta e o descobrimento de si e consigo mesma.Aposto como muitas pessoas vão se identificar com a personagem.

    ResponderExcluir

2014 - um ano de muita pesquisa

Então, desde o final de 2014 o tempo tem sido cada vez mais escasso apenas pelo fator MESTRADO, tão raro que, ao vir atualizar o blog me de...