domingo, 21 de junho de 2009

sábado, 13 de junho de 2009

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Me apontem a direção

Me peguei pensando numa coisa, na verdade me peguei questionando sobre a função do diretor. Vejo meu amigo-diretor Marco Antonio de Campos como um grande parceiro de impreitadas nem sempre muito bem sucedidas, mas sempre importantes para meu amadurecimento como atriz, porque vejo nele um guia, um orientador do que pode ser feito no palco, do que pode ser usado como subsidio das construções de personagem... enfim, vejo uma cumplicidade, percebo isso, coisa que sei que nem sempre acontece nos elencos, coisa que aconteceu inclusive comigo quando estava em São Paulo sob a direção de Antonio Abujamra (mas tudo bem, afinal ele é um dos monstros sagrados do teatro brasileiro).
Estou tendo a oportunidade de trabalhar com direção de ator, e duas direções por sinal tanto no fato de serem dois elencos como o fato de cada uma ter características muito diferente da outra. Para a leitura "DE BRAÇOS ABERTOS" conto com um elenco que em sua maioria já conheço, o texto também ajuda muito porque fala por si, e nesse caso mais específico, se torna menos difícil porque o que há no texto é parecido com o que vivi a pouco tempo - mas isso é assunto pra um blog pessoal, não profissional. Já para "CELESTE AÍDA" admito uma grande insegurança, primeiro por se tratar de uma remontagem, segundo porque se trata de uma encenação, o que faz com que tenhamos que ter um pensamento mais detalhado sobre tudo (admito que nessas horas eu me perco, afinal tô dirigindo ator, não cena).
O que eu concluo é que só a prática pode me levar àlgum lugar, do tipo: só se aprende a fazer fazendo... o que é uma verdade absoluta, os macacos conseguem aprender observando, eu nem sempre... - que comparação infame. Não fui dirigida por tanta gente assim, queria ter passado por mais diretores, mas a gente sempre leva um pouco deles quando se aventura a dirigir, na verdadem acho que eu estou mais coordenando do que dirigindo de fato, afinal, o ator têm o que oferecer ao diretor, e vice-versa. Mas é algo no qual quero me aventurar mais futuramente, por enquanto a experiência está sendo boa, os elencos ajudam bastante também.
De todo modo fica o mote: SE EU ESTIVER MEIO PERDIDA, POR FAVOR, ME APONTEM A DIREÇÃO!

terça-feira, 2 de junho de 2009

UNIVERSO FEMININO



Teoricamente esta imagem não deveria ter sido postada, mas estava pensando numa coisa nestes últimos dias. Já tem muito tempo, na verdade desde que comecei a trabalhar profissionalmente com teatro, que o universo feminino permeia toda e qualquer manifestação artística na minha vida. Pois bem, acho que por estarmos dentro de uma sociedade que acaba sendo matriarcal apesar dos machismos da cultura nordestina, então pensei que seria importante usar desde blog como um vetor mais abrangente de expressão. De todo modo, digamos que isso também pode vir fazer parte do teatro, ou como futura cenografia (não necessariamente esta gravura, mas outras parecidas, com traços semelhantes) ou apenas como exteriorização do que construimos internamente para criação de personagem. Enfim, é isso.

2014 - um ano de muita pesquisa

Então, desde o final de 2014 o tempo tem sido cada vez mais escasso apenas pelo fator MESTRADO, tão raro que, ao vir atualizar o blog me de...