domingo, 9 de agosto de 2009

Tá demorando né?!

Tá demorando né!?
Texto de Daniela Beny
(exercício feito para oficina de Dramturgia do Cotidiano - FUNARTE SP)


Duas poltronas de ônibus de viagem, Amanda e Beatriz sentadas lado a lado, é noite, falam baixo quase cochichando

AMANDA: - Tá demorando né!? Não vejo a hora de chegar em casa, detesto mato, inseto, carrapato, nem sei como você me convenceu a acampar no meio do nada, sem água encanada, chuveiro elétrico, você sabe que eu odeio tomar banho de água fria...
BEATRIZ: - Ué, você não estava sempre reclamando que depois que comecei com o Felipe e você com o Pedro, a gente nunca mais viajou juntas...
AMANDA: - Verdade. Mas precisava ser para um lugar desses?
BEATRIZ: - Amiga é pra essas coisas, eu ira com você até o inferno se fosse preciso...
AMANDA: - Mas aquilo ali ERA o inferno!
BEATRIZ: - Eu achei tudo lindo, a cachoeira, as flores, o luar... um luar daqueles a gente não vê na cidade...
AMANDA: - Eu me senti uma pateta brigando pra montar a barraca, tendo que me virar no matinho mesmo... nunca mais outra dessas... nunca mais!
(Amanda e Beatriz dão pulinhos nas poltronas, como se o ônibus estivesse passando numa estrada esburacada)
AMANDA:
- Tá vendo, até a estrada de volta pra cidade é ruim, me sinto no tobogã dentro do ônibus... Quero minha cama, meu banheiro. Não teve nada de bom nessa viagem...
BEATRIZ: - Claro que teve Amanda... ficamos mais... próximas... (ônibus chacoalha de novo, Amanda quase cai sobre Beatriz, ficam com o rosto muito próximo uma da outra, tensão)
AMANDA: - (Amanda e Beatriz se olham - pausa)
Você tem razão... ficamos mais próximas mesmo... (Amanda ri nervosa, Beatriz se afasta um pouco) mas não muito próximas... (Amanda ainda nervosa tentando desconversar) Nossa, tá demorando né?! Que estrada longa...
BEATRIZ: - Pois é... (Beatriz mexe nos cabelos de Amanda, depois segura sua mão) ... tá demorando... (Se aproximando de Amanda)
AMANDA:
- Eu, (meio confusa) eu, eu acho que... que eu... (Beatriz se aproxima mais ainda de Amanda)
BEATRIZ:
- Você acha que... (bem perto de Amanda)
AMANDA:
-... eu acho... eu tenho... eu tô... (Amanda beija Beatriz) ... apaixonada por você... pronto... falei... (Amanda se afasta) Mas isso não faz muito sentido... (Beatriz beija Amanda)
BEATRIZ: - (soltando Amanda)
Que bosta, minha avó fez aniversário ontem e eu nem liguei, nem comprei uma lembrancinha pra ela...
AMANDA: - Relaxa, quando você chegar em casa telefona pra ela.
BEATRIZ: - (manhosa abraçada com Amanda) Nossa, tá demorando mesmo né?!
AMANDA: - (nervosa se soltando de Beatriz) Tenho que desligar o celular.
BEATRIZ: - Por que?
AMANDA: - O Pedro vai ligar...
BEATRIZ: - E daí?
AMANDA: - Não sei você, mas eu não tô muito a vontade com essa situação...
BEATRIZ: - Bobagem a sua... (abraçando Amanda) tá vendo que ele...
(toca um celular, Amanda tira o celular do bolso da calça)
AMANDA: - Eu disse (mostrando pra Beatriz) ... é o Pedro... (Amanda se apressa e desliga o telefone)
BEATRIZ:
- Ué, por que você não atendeu??
(Barulho de ônibus parando, chegam à rodoviária)
AMANDA: - (Chateada, se arrumando pra descer do ônibus)
Se você prefere que eu atenda, já me considero em casa. Essa “viagem” acaba aqui!
BEATRIZ: - (segurando Amanda) Por mim não! (Se beijam)
AMANDA: - (rindo meio sem graça) Tava demorando né!?
FIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

2014 - um ano de muita pesquisa

Então, desde o final de 2014 o tempo tem sido cada vez mais escasso apenas pelo fator MESTRADO, tão raro que, ao vir atualizar o blog me de...